0

Conheça um pouco da história da Marcha da Maconha no mundo

21 mai 2011
08h36

Daniel Favero

Mulher usa um colar de folhas de maconha na manifestação pela legalização da droga em Buenos Aires
Mulher usa um colar de folhas de maconha na manifestação pela legalização da droga em Buenos Aires
Foto: AFP

A mobilização em favor da liberação da maconha para consumo e fins medicinais, teve início em 1998, encabeçada pelo ativista Dana Beal, no mês de maio. Desde então, o dia 7 foi estabelecido como a data mundial para as manifestações favoráveis so uso da droga.

Dana Beal dirige uma ONG chamada Cures Not War (algo como Curas não Guerra, em tradução literal), em Nova York. O movimento ganhou força com a adesão de publicações sobre a cultura da maconha como as revistas Cannabis Culture Magazine e High Times Magazine, além de entidades contrárias à proibição do uso da maconha.

A entidade de Dana Beal não se resume a defender o uso da maconha para diversos fins, eles também difundem o uso de alucinógenos como a Ibogaína, uma raiz africana, para tratar o vício em drogas como meta-anfetamina e heroína.

Beal foi preso diversas vezes desde os anos 60. Mais recentemente, em 2009, foi detido com cerca de 70 kg, em 2008 com uma pequena quantia e US$ 150 mil, e em janeiro deste ano, com 84 kg. Ele alega que a maconha era destinada para fins medicinais, algo que é permitido em alguns Estados americanos.

Desde a primeira mobilização em 1998, diversas cidades do mundo passaram a realizar manifestações no mês de maio, que hoje já ocorrem em 250 cidades, em 63 países. No Brasil, as manifestações ocorrem de forma mais sistemática desde 2006, mas por causa do calendário, com o Dia das Mães e finais de campeonatos estaduais de futebol, a data é mudada. Dezoito marchas estão programadas para este mês em diversas cidades brasileiras.

Fonte: Terra
publicidade