1 evento ao vivo

Condutor acionou os freios do bonde, diz amigo sobre acidente

27 ago 2011
22h41

Luís Bulcão
Direto do Rio de Janeiro

Perito fotografa bonde virado no bairro de Santa Teresa
Perito fotografa bonde virado no bairro de Santa Teresa
Foto: Murilo Rezende / Futura Press

O motorneiro (condutor de bonde) Nelson Correia da Silva está entre os cinco mortos no acidente com um bonde em Santa Teresa no Rio. Ele completaria 57 anos no domingo. Tinha 30 de profissão. Segundo o amigo e sindicalista Valmir de Lemos, momentos antes de morrer, Nelson acionou os freios da bonde.

"Ele fez o trabalho dele", disse Valmir de Lemos, que é presidente do Sindicato dos Ferroviários da Central do Brasil. Ele foi até o local para ver como aconteceu o acidente. Valmir, que também é maquinista experiente, apontou para as rodas do veículo. "Os freios dianteiros e traseiros foram acionados. Mesmo que não tenha funcionado, ele pode ter usado o freio manual", disse.

Ao falar do amigo morto na tarde de hoje, Valmir descreve Nelson como responsável. "Uma pessoa de bem, muito amiga". Um outro colega de Nelson, que trabalha nos bondes e não quis se identificar, o descreveu como uma pessoa alegre. "Ele se dava bem com todo mundo. A gente não se via sempre por causa da escala, mas o conhecia muito bem, sim", disse.

Valmir critica a manutenção dos bondes. De acordo com ele, o sindicato já havia alertado o Ministério Público e a Secretaria de Transportes do perigo.

O Corpo de Bombeiros elevou para 53 o número de feridos no acidente. O dado confirma a hipótese de superlotação da composição, que tem capacidade para 32 pessoas. "É claro que teve uma grande colaboração no acidente", disse o comandante dos Bombeiros, coronel Sérgio Simões.

A mudança nos números de feridos se deve a um resgate realizado pela Polícia Militar, que não havia sido contabilizado pelo Corpo de Bombeiros. Após o acidente, ocorrido por volta das 16h, a PM estacionou um ônibus no local e levou 26 pessoas para hospitais. Os bombeiros socorreram outras 27. De acordo com Simões, 10 estão em estado grave - seis internadas no hospital Souza Aguiar, dois no Miguel Couto e dois no Andaraí.

O bonde fazia o trajeto Lapa-Santa Teresa, na zona sul do Rio de Janeiro. Informações preliminares apontam que a composição teria perdido o controle e batido em dois postes antes de tombar. Quatro das cinco vítimas morreram logo após o tombamento e uma delas, a caminho do hospital.

O secretário estadual de Transporte, Julio Lopes, foi vaiado ao chegar no local do acidente, mas falou sobre a suspeita de superlotação. "A questão da superlotação e do uso inadequado é algo que nos preocupa muito e temos informações preliminares de que o bonde estava muito cheio", afirmou.

"Esse bonde número 10 é antigo e não havia sido submetido à reforma. Não é da mesma geração daquele que se acidentou recentemente", disse o secretário se referindo ao acidente ocorrido em junho deste ano, quando um turista francês morreu ao cair do bondinho. Charles Damien Pierson, 24 anos, estava com uma alemã que havia conhecido na noite anterior e caiu de uma altura de 15 m dos Arcos da Lapa.

Veja onde ocorreu o acidente com o bonde:

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade