0

Cardozo solicita informações da PF sobre protestos em Rio e SP

12 jun 2013
20h55
atualizado às 21h06
  • separator
  • comentários

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quarta-feira, em Brasília, que pedirá à Polícia Federal informações sobre as manifestações violentas que têm ocorrido em São Paulo e no Rio de Janeiro após o aumento das passagens do transporte público. Em nota, o Ministério da Justiça informou, no entanto, que "não houve nenhuma determinação para abertura de inquérito policial pela Polícia Federal". De acordo com o órgão, os atos de violência são, até então, de competência exclusiva das polícias estaduais.

<p>O ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso</p>
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Em visita a Paris para apresentação da candidatura de São Paulo à Expo Mundial 2020, o governador Geraldo Alckmin condenou a forma como a população tem se manifestado. "Isso extrapola o direito de expressão, isso é absoluta violência, vandalismo, baderna e é inaceitável. ( A PM ) agiu com profissionalismo. Houve, inclusive, policiais feridos pela violência do movimento."

As manifestações têm ocorrido desde a semana passada em São Paulo. O Movimento Passe Livre, organizador do protesto, informou, por meio de nota, que pediu uma audiência com o prefeito Fernando Haddad para negociar a reversão do reajuste de R$ 3 para R$ 3,20 na tarifa do transporte público, que entrou em vigor na semana passada. Foram detidas 17 pessoas e 85 ônibus foram avariados.

No Rio de Janeiro, a tarifa subiu de R$ 2,75 para R$ 2,95. Pontos de ônibus foram parcialmente destruídos na última segunda-feira. Pelo menos 34 pessoas foram detidas e levadas para a 5ª Delegacia de Polícia, no centro da cidade.

&amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;quot;http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-metro-onibus-sp/iframe.htm&amp;amp;quot; href=&amp;amp;quot;http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-metro-onibus-sp/iframe.htm&amp;amp;quot;&amp;amp;amp;gt;veja o infogr&amp;amp;aacute;fico&amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;gt;

Agência Brasil Agência Brasil

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade