Cidades

publicidade
06 de novembro de 2010 • 07h32

Bilhete Carioca começa a valer hoje; saiba como funciona

Usuário pode, em até duas horas, pegar dois ônibus de linha municipal ao custo de R$ 2,40
Foto: Divulgação
 
Luís Bulcão Pinheiro
Direto do Rio de Janeiro

Os cariocas já podem utilizar apenas um bilhete para jornadas de até duas horas em dois ônibus de linha municipal ao custo de R$ 2,40, valor correspondente ao de uma passagem normal. A mudança está valendo, a partir de hoje, com a entrada em vigor do sistema de Bilhete Único Carioca. Para ter acesso ao novo cartão, o usuário tem que fazer o cadastro pela internet ou em um dos postos disponibilizados pela prefeitura.

Quem já possui o Bilhete Carioca (estadual) ou o cartão de Vale-Trasporte Convencional, ou o Cartão Expresso (incluindo as duas modalidades da RioCard jovem) pode utilizar o sistema sem a necessidade de novo cadastro. Nestes casos, as novas tarifas são descontadas automaticamente do cartão.

Como funciona
O cartão pré-carregado pode ser obtido em uma das lojas RioCard ou nas agências do banco Itaú credenciadas. Os créditos iniciais dos cartões pré-caregados são de R$ 21,00 ou de R$ 55,00. Mesmo comprando o cartão pré-carregado, ele deve ser cadastrado no site da RioCard (www.cartaoriocard.com.br) e desbloqueado.

O Bilhete Único Carioca é um cartão magnético que registra o crédito do usuário e desconta as tarifas quando utilizadas. Para utilizar, basta carregar o crédito mínimo de R$ 4,80. O valor da tarifa será descontado quando o cartão for aproximado do validador, presente nas roletas dos ônibus. É permitido apenas um cartão por CPF. Os créditos têm validade de um ano. Se não utilizado em 120 dias, o cartão será bloqueado automaticamente.

Como o cartão fica ligado ao CPF do usuário, ele pode bloqueá-lo em caso de roubo, perda ou quebra. Para adquirir um novo cartão, será cobrado o valor de R$ 15. Em caso de defeito ou mal funcionamento, o cartão deverá ser trocado em uma das lojas RioCard. A troca será efetuada em quatro dias.

Veja como o sistema integrado funciona em outras cidades:

São Paulo
O Bilhete Único comum permite viajar em até quatro conduções (ônibus ou lotação) dentro do município pelo período de três horas ao valor de uma passagem (R$ 2,70). O sistema, adotado em 2004, diferencia o bilhete único comprado do vale transporte e do bilhete escolar subsidiados, que vale por apenas duas horas para as mesmas quatro conduções. Aos domingos e feriados, o chamado "bilhete amigão" permite ao passageiro pagar apenas uma passagem e usufruir do sistema pelo período de oito horas (é preciso ter carregado o cartão com o valor mínimo de quatro passagens). Todos fazem a integração de ônibus com os trens pelo valor de R$ 4,07 (para estudantes, o valor é de R$ 2,04). O Bilhete Único paulistano não permite integração com ônibus intermunicipais.

Curitiba
Adotado em 1992, o sistema curitibano é considerado modelo no país. O Bilhete Único custa R$ 2,20 e não há limite de tempo ou número de conduções. O passageiro pode utilizar quantas vezes quiser para completar a viagem. Além disso, o sistema é integrado em toda a região metropolitana.

Porto Alegre
Na capital do Rio Grande do Sul, existe um sistema chamado de Passagem Integrada, em vigor desde 2008. O passageiro ganha 50% de desconto no segundo ônibus limitado a um intervalo de 30 minutos entre uma viagem e outra.

O valor da passagem em Porto Alegre é R$ 2,45. Há também um sistema de integração com a Trensurb. Um único bilhete possibilita a viagem de ônibus e da linha intermunicipal de trem. Ambas são feitas com o uso de cartões específicos Tri para o ônibus e o Sim para o trem.

Especial para Terra