0

BH: expulsão de trio elétrico e praça tomada marcam protesto

Cerca de três mil pessoas foram às ruas reclamar de pontos como gastos da Copa do Mundo, salário dos professores e aumento das passagens

18 jun 2013
22h26
atualizado em 24/6/2013 às 12h55
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Cerca de três mil pessoas aproveitavam a ausência da PM na praça Sete em BH para fazer festa com bandeiras e protestar</p>
Cerca de três mil pessoas aproveitavam a ausência da PM na praça Sete em BH para fazer festa com bandeiras e protestar
Foto: Diego Garcia / Terra

Os protestos na cidade de Belo Horizonte contra os mais diversos temas continuaram nesta terça-feira. No total, cerca de três mil pessoas foram às ruas reclamar de pontos como gastos da Copa do Mundo, salário dos professores, aumento das passagens de ônibus e direitos dos homossexuais. Em meio às manifestações, houve espaço até para tumultos isolados, como expulsão de um trio elétrico, carro do Judiciário cercado e a praça Sete tomada pelo povo.

Cerca de 1,5 mil manifestantes deixaram as imediações da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com destino à praça Sete no fim da tarde desta terça-feira. O longo trajeto foi pacífico, com os estudantes portando faixas e cartazes que esboçavam insatisfação com temas distintos. E, a exemplo dos demais dias, o clima era de paz.

<p>Seminaristas agostinianos também foram às ruas de Belo Horizonte</p>
Seminaristas agostinianos também foram às ruas de Belo Horizonte
Foto: Rivandro Silva / vc repórter

Quando um grupo ameaçava depredar algum patrimônio público, os demais iniciavam coro de "violência, não" e "sem vandalismo". Os únicos pontos de confusão ocorreram quando um trio elétrico tentou se infiltrar no meio da multidão. O sujeito responsável pela iniciativa já havia avisado antes do movimento que o faria, mas foi repreendido pela multidão, que o vaiou.

Os manifestantes entenderam que o trio elétrico pertencia a algum partido político, apesar de nenhuma bandeira representativa a algum grupo estar visível no veículo. Assim, por pouco os manifestantes não partiram às vias de fato com os responsáveis pelo carro. Apesar do custo de R$ 3 mil, o trio não pode seguir na passeata.

Outro ponto de confusão ocorreu quando um grupo cercou um veículo de placa preta, pertencente a algum funcionário do Judiciário local. Os manifestantes colocaram uma bandeira do Brasil no automóvel e riscaram todo o carro antes de liberá-lo, após mantê-lo por alguns minutos bloqueado no meio da rua.

Apesar dos incidentes isolados, o protesto seguiu de forma pacífica. Um grupo tentou depredar um ônibus, mas foi expulso pelos demais do movimento. Ao chegar na praça Sete, cerca de três mil pessoas aproveitavam a ausência da PM para fazer festa com bandeiras e protestar contra a presidente Dilma Roussef, a Fifa e a Copa do Mundo. A quarta-feira deve ter mais protestos em Minas Gerais.

Colaborou com esta notícia o internauta Rivandro Silva, de Belo Horizonte (MG), que participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Veja também:

Colunista do L! alerta para privilégio de torcida organizada em jogo do Palmeiras
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade