1 evento ao vivo

Barranco desmorona e cinco prédios são interditados em BH

2 abr 2010
13h02
atualizado às 18h48
Ney Rubens
Direto de Belo Horizonte

Cinco prédios localizados no bairro Anchieta, região sul de Belo Horizonte (MG), foram interditados na manhã desta sexta-feira pela Defesa Civil Municipal e pelo Corpo de Bombeiros porque há risco de desabamento das estruturas.

Defesa Civil Municipal e o Corpo de Bombeiros interditaram cinco prédios do bairro Anchieta, em Belo Horizonte
Defesa Civil Municipal e o Corpo de Bombeiros interditaram cinco prédios do bairro Anchieta, em Belo Horizonte
Foto: Ney Rubens / Especial para Terra

As obras de construção de um shopping que fica nos fundos dos edifícios também foram embargadas pela Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec). Segundo o coordenador do órgão, Elmar Lacerda, "as interdições foram causadas pelo deslizamento de uma encosta que sustentava os alicerces e bases dos prédios". A terra no local é instável porque existem algumas minas d'água, disse a Comdec.

Em cada prédio moram, em média, 20 famílias. Todas foram abrigadas em hotéis pela construtora responsável pela obras de ampliação do shopping.

Há um ano, o prédio da rua Samuel Pereira, 159, esquina com a avenida Francisco Deslandes, já havia sido interditado devido a um primeiro desmoronamento. Há seis meses, foi a vez da garagem do edifício Ágata, na mesma rua, desmoronar.

O professor e administrador Roberto Martins reclama que há mais de um ano que os moradores vêm se reunindo com a construtora, que deveria ter feito obras de contenção da encosta, "mas elas não foram realizadas. Marcaram várias datas para o início da obra, mas nada. Agora tivemos que deixar nossas casas", disse.

Em nota, o Condomínio Plaza Anchieta disse que "após tomar conhecimento hoje, 2 de abril de 2010, do deslizamento do muro de contenção existente entre o Plaza Anchieta e o edifício Agatha, imediatamente entrou em contato com a Defesa Civil e também com as empresas contratadas e responsáveis pelas obras do empreendimento (Topus Construtora e Hidrosolo Engenharia de Projetos e Consultorias). Estas empresas iniciaram imediatamente as investigações para detectar as causas do ocorrido e adotar as medidas corretivas necessárias. Por orientação da Defesa Civil, foram retirados os moradores dos edifícios vizinhos que poderiam ser afetados pelo ocorrido e acomodados em hotéis da cidade. Toda a assistência será prestada as famílias afetadas".

Fonte: Especial para Terra
publicidade