1 evento ao vivo

Após isenção de impostos, prefeituras reduzem tarifas de ônibus

13 jun 2013
15h08
atualizado às 15h12
  • separator
  • comentários

Em meio aos protestos violentos contra o aumento da tarifa do transporte público em São Paulo, as prefeituras de diversas cidades brasileiras anunciaram para os próximos dias a redução no preço da passagem, após a vigência, a partir do dia 1º de junho, da isenção dos impostos PIS e Cofins para as empresas do setor.

Em Campinas (SP), o prefeito Jonas Donizette anunciou na quarta-feira a redução de 3% na tarifa, que passará de R$ 3,30 para R$ 3,20 a partir de 30 de junho. Durante o evento de homenagem a funcionários da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Donizette afirmou que era necessário repassar a desoneração dada pelo governo federal ao valor da tarifa. "Os empresários alegaram que teriam um prejuízo de R$ 870 mil por mês com a redução na tarifa, mas preferi pensar em primeiro lugar nos usuários do transporte, que vão economizar na passagem e poder contabilizar um dinheiro no final do mês", disse. Donizette lembrou também que não haverá aumento no subsídio atual da prefeitura ao sistema de transporte, que está atualmente em R$ 36 milhões por ano.

Também nesta semana, cinco cidades da região do Grande ABC de São Paulo - São Bernardo, Santo André, São Caetano, Mauá e Ribeirão Pires - terão a tarifa de transporte coletivo reduzida de R$ 3,30 para R$ 3,20. O novo preço passará a valer a partir do próximo sábado.

O anúncio foi feito na semana passada pelo prefeito de São Bernardo do Campo e presidente do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, Luiz Marinho (PT), durante reunião da entidade. Em Diadema, onde o preço da tarifa já era de R$ 3,20, o valor será mantido. Nessa cidade, o reajuste passará a ser feito de dois em dois anos, como ocorre nos demais municípios do ABC. Em Rio Grande da Serra, onde a tarifa é de R$ 3, o valor será mantido.

<a data-cke-saved-href="http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-de-onibus/iframe.htm" href="http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-de-onibus/iframe.htm">veja o infográfico</a>

A partir de domingo, os ônibus da rede não integrada da região metropolitana de Curitiba terão a tarifa de ônibus reduzida em dez centavos, passando de R$ 2,85 para R$ 2,75. "O Paraná hoje dá um exemplo para o Brasil de trabalho em favor da sua população. Investimos em mobilidade e garantimos assim mais dinheiro no bolso do trabalhador", anunciou o governador Beto Richa (PSDB), ao lembrar que a isenção de ICMS era um compromisso do plano de governo.

Em Goiânia (GO), a redução passou a valer já a partir desta quinta-feira, após decisão da Justiça de Goiás que suspendeu o aumento de R$ 2,70 para R$ 3, ocorrido no dia 21 de maio. Após uma série de protestos, o reajuste foi cancelado pela Justiça na última segunda-feira, mas somente ontem a Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) foi oficiada.

Desde a última segunda-feira, os usuários do transporte coletivo de Manaus (AM) convivem com tarifas reduzidas. O valor foi reajustado de R$ 3,00 para R$ 2,90 pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, que usou como argumento a redução nos tributos federais.

<a data-cke-saved-href="http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-metro-onibus-sp/iframe.htm" href="http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-metro-onibus-sp/iframe.htm">veja o infográfico</a>

Em Natal (RN), onde o preço da tarifa é alvo de uma série de protestos desde o mês passado, a prefeitura também determinou a redução da tarifa em dez centavos. Desde o dia 4 de junho, a passagem de ônibus passou a valer R$ 2,30. Apesar da redução, o valor não voltou ao mesmo patamar de antes do último reajuste, ocorrido no dia 18 de maio, quando a tarifa passou de R$ 2,20 para R$ 2,40. O prefeito Carlos Eduardo solicitou à Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana novos cálculos no valor da passagem, logo após o governo federal anunciar a decisão de zerar o pagamento do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade