Boletim
Receba as últimas notícias em seu email

 Fale conosco
Participe! Envie suas críticas e sugestões
Caso Richthofen
Sábado, 22 de julho de 2006, 02h58  Atualizada às 03h40
Pena para irmãos Cravinhos foi justa, diz defesa
 
Vagner Magalhães
Direto de São Paulo
 
 Últimas de Caso Richthofen
» Advogado de Suzane quer transferência de Ribeirão
» Suzane diz ter recebido ameaça de morte na prisão
» Suzane presta depoimento em Ribeirão Preto
» "Plano de emergência" pode dobrar jornada nos aeroportos
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O advogado dos irmãos Cravinhos, Adib Geraldo Jabur, afirmou que considera justa a pena dada a seus clientes. Daniel foi condenado a um total de 39 anos de reclusão e seis meses de detenção e Cristian, a 38 anos de reclusão mais seis meses de detenção. Os dois confessaram participação na morte do casal Manfred e Marísia von Rchthofen em outubro de 2002.

» Veja as contradições entre os réus
» Confira o que disseram as testemunhas
» Veja todas as fotos do caso
» Fórum: opine sobre o julgamento
» Confira a cronologia do caso

"Estou amplamente satisfeito, era o que eu imaginava. Quando muitos apregoavam que as penas alcançariam 50 anos eu já dizia que não", afirmou.

Segundo ele, a defesa ainda vai analisar as penas, a partir de segunda-feira, para pedir um possível recurso. "Há alguns pontos que poderemos discutir, teremos cinco dias a partir de segunda-feira", disse ele.

Jabur também disse estar satisfeito pois alcançou o objetivo da defesa, de conseguir a aplicação de penas compatíveis com a participação de cada um dos acusados no crime. Ele afirmou que Cristian teve um pena menor por não ser namorado de Suzane ter uma ligação afetiva mais distante com as vítimas. "Ele entrou de bobo", completou.

Segundo ele, ao receber a sentença, os irmãos Cravinhos agradeceram o trabalho dos dois advogados e entenderam que a punição era justa.
 

Redação Terra