Boletim
Receba as últimas notícias em seu email

 Fale conosco
Participe! Envie suas críticas e sugestões
Caso Richthofen
Quinta, 20 de julho de 2006, 21h35  Atualizada às 01h01
Suzane e Cravinhos poderão ter novo julgamento
 
Vagner Magalhães
Direto de São Paulo
 
Sebastião Moreira/Agência Estado/Terra
A promotoria vai pedir 50 anos de prisão para Suzane von Richthofen
A promotoria vai pedir 50 anos de prisão para Suzane von Richthofen
 Últimas de Caso Richthofen
» Advogado de Suzane quer transferência de Ribeirão
» Suzane diz ter recebido ameaça de morte na prisão
» Suzane presta depoimento em Ribeirão Preto
» "Plano de emergência" pode dobrar jornada nos aeroportos
Busca
Busque outras notícias no Terra:
Caso a condenação por homicídio seja maior que 20 anos para cada réu (o veredicto deve sair nesta sexta-feira), Suzane von Richthofen e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos podem ser julgados novamente. De acordo com o auxiliar da promotoria, Nadir de Campos Júnior, já há data marcada para um novo júri: 18 de setembro. Pela lei, toda condenação cuja pena ultrapasse 20 anos permite recurso da defesa para a realização de novo julgamento.

» Veja as contradições entre os depoimentos dos réus
» Confira o que disseram as testemunhas
» Veja fotos do julgamento
» Fórum: opine sobre o julgamento
» Confira a cronologia do caso

O promotor Roberto Tardelli confirmou que pedirá 50 anos de prisão para cada um dos réus. Segundo ele, a promotoria manterá o pedido mesmo que tenha que ocorrer um novo julgamento. "Não há problema, faremos quantos julgamentos forem necessários", afirmou.

Tardelli confirmou que a acusação vai manter a mesma linha que tem sido adotada nos últimos quatro anos. Ele disse estar convencido da participação dos três no crime e acredita que Suzane foi a mentora do assassinato.

O promotor ainda classificou como "louca" a tese da defesa de Suzane, de que ela teria sido manipulada pelo ex-namorado, Daniel Cravinhos. "Não dá para imaginar uma pessoa com tamanho grau de discernimento possa ser manipulado. O crime é bárbaro e as pessoas precisam pagar por isso."

Tardelli disse que o choro dos réus, que se emocionaram em várias partes dos depoimentos, mostra desespero e não arrependimento. "Existe diferença entre arrependimento e desespero. O caso deles é de desespero porque eles sabem que vão passar os melhores anos da vida no pior lugar possível, que é a cadeia", afirmou.

Quanto ao "argumento-bomba" que a defesa de Suzane pretende apresentar a oito minutos do final do julgamento, Tardelli disse não estar mais preocupado. Segundo ele, com as provas apresentadas, nenhum tipo de "bomba" terá mais efeito.

Sentença
A sessão desta quinta-feira do julgamento de Suzane foi encerrada por volta das 21h30. A sentença dos acusados pelo assassinato do casal Manfred e Marísia von Richthofen, pais de Suzane, sairá nesta sexta-feira. A promotoria terá três horas para expor a sua tese e pedir a condenação dos três.

Em seguida, os advogados de Suzane e dos irmãos Cravinhos dividem outras três horas para fazer a defesa. A promotoria tem mais uma hora para a réplica e as defesas mais uma hora a ser dividida.

Após os debates, o júri se reúne e decide a sentença, que será redigida e lida pelo juiz Alberto Anderson Filho, que preside os trabalhos no plenário. A previsão mais otimista é de que sentença seja lida por volta da meia-noite.
 

Redação Terra