0

ANAC multa em R$ 2,8 milhões a empresa proprietária do avião que interditou pista de Viracopos

Bruno BocchiniRepórter da Agência BrasilSão Paulo - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) multou hoje (19), em R$ 2,8 milhões, a empresa norte-americana Centurion Cargo, dona do avião que interditou a única pista do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, por quase dois dias. O problema causou graves transtornos para as empresas aéreas de passageiros que operam no terminal.A quebra do trem de pouso, no momento da aterrissagem, da aeronave MD-11, às 19h55 do último sábado (13), foi a causa da interdição. A demora na liberação da pista se deveu pela falta de equipamento necessário para retirar o avião. O que ocorreu apenas na segunda-feira (15), às 17h35. Durante esse período quase 500 voos foram cancelados, a maioria da empresa aérea Azul.O auto de infração emitido pela Anac faz parte do procedimento administrativo, ainda em curso, instaurado pela agência. De acordo com o órgão, a empresa também poderá ser punida com a suspensão de autorizações de voo.A agência ressaltou que a operação para a retirada do avião foi feita obedecendo os critérios de segurança do terminal. ''A Anac reitera que a interdição da pista até a conclusão da remoção da aeronave obedeceu a requisitos operacionais essenciais à garantia da segurança dos passageiros. A segurança da aviação civil é prioridade absoluta da Agência'', disse em nota.A Secretaria de Aviação Civil (SAC) informou que a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e a Advocacia-Geral da União (AGU) estão preparando uma ação indenizatória contra a Centurion. A SAC estima que os prejuízos materiais decorrentes da interdição do aeroporto sejam da ordem de R$ 3 milhões. Ainda estão em avaliação os valores referentes aos danos morais sofridos com o episódio. A Infraero vai apurar também a atuação das outras empresas contratadas pela Centurion para a operação de retirada da aeronave.A secretaria reiterou que os órgãos do governo envolvidos na retirada da aeronave julgaram que a pista somente poderia ser reaberta, com segurança, após a retirada completa do cargueiro. ''A SAC ressalta que todos os procedimentos realizados para a remoção do cargueiro da pista de Viracopos foram monitorados rigorosamente pelos órgãos de governo e empresas envolvidas no processo, inclusive a Azul, que acompanhou todos os passos da operação'', disse em nota.A SAC reconheceu, ainda, que irá revisar os planos de contingência do setor e as normas operacionais dos aeroportos. ''O governo revisará os procedimentos e as normas operacionais do setor, e julgará quais medidas ou revisões legais serão necessárias para aperfeiçoar as estratégias listadas nos planos de contingência desse segmento''.A reportagem tentou contatar, sem sucesso, a empresa Centurion, sediada no Aeroporto Internacional de Viracopos.Edição: Aécio Amado

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade