2 eventos ao vivo

Aécio diz que estará ao lado de Serra "onde for convocado"

10 abr 2010
13h02

Na festa de lançamento da pré-candidatura de José Serra (PSDB), neste sábado, à sucessão presidencial, o ex-governador Aécio Neves externou seu apoio ao tucano e deixou uma porta aberta sobre seu futuro político.

No discurso desta tarde, ele disse uma frase que foi interpretada por tucanos como uma sinalização de que pode ser o candidato a vice na chapa de Serra.

Aécio saiu do governo de Minas Gerais para concorrer a uma vaga no Senado, mas o apelo de partidários é que ocupe a vice.

"A partir de Minas Gerais, das montanhas de Minas (estou) ao seu lado ou onde eu for convocado", disse Aécio, que em dezembro desistiu de disputar ele próprio da Presidência da República pelo PSDB.

Assim que terminou de falar, em discurso mais inflamado que o Serra, a plateia gritou em coro: "Vice, Vice!"

"Hoje Minas está presente... para dizer que o candidato de Minas é José Serra", afirmou.

Aécio fez um apanhado das realizações do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), citando a instituição da Lei de Responsabilidade Fiscal e as privatizações e disse que de público "reconhece as virtudes do presidente Lula".

"Mas uma (virtude) mais que as outras é manter inalterada a política econômica de FHC", emendou.

O mineiro disse ainda que está aberto a discutir o passado do partido. "Se quiserem, vamos discutir e debater nosso passado porque não há nada que nos envergonhe."

FHC, que não compareceu à despedida de Serra do governo paulista no início do mês, não foi escondido pela organização do evento deste sábado, que reuniu cerca de 4 mil pessoas. Ele não só teve direito à palavra, como foi exaustivamente fotografado levantando o braço direito de Serra.

(Reportagem de Natuza Nery, Fernando Exman, Maria Carolina Marcello e Bruno Peres)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade